"Vou à Bahia porque, se alguém fez o impossível para eu sair do país, foi Dado Galvão. Desde que filmou uma entrevista comigo em Havana, ele tem sido incansável. Mesmo quando me faltava esperança, ele a mantinha" YOANI SÁNCHEZ - FOLHA DE SÃO PAULO

“Estamos monitorando você”

(...) Acossado por simpatizantes do regime, ele se abrigou por algumas horas na casa da líder do grupo, Laura Pollán. Dias depois Dado foi surpeendido por um bilhete escrito à mão, assinado por Ricardo Lamas (...) funcionário responsável pela imprensa brasileira (...) Revista Época 29/03/10.